domingo, 19 de julho de 2015

Reviravoltas

Voltei... Voltei a sentir a necessidade de libertar o que me sufoca, este misto de emoções, este reencontro, as memórias, as gargalhadas, as lágrimas, o verdadeiro sentimento.

São reviravoltas da vida... Devaneios da mente, penso e penso mais um pouco, é incrível a mudança que sinto dentro de mim, cresci, ultrapassei tanta coisa, e ainda existem tantas outras metas a alcançar, foi aqui que aprendi a gostar cada vez mais de mim, em que comecei a ver o que existe de bom nas pequenas coisas.

Sempre me senti diferente dos que me rodeiam ou rodeavam, foi sozinho que aprendi a dar valor às coisas, foi assim que aprendi o que era ter esperança de um dia melhor, contudo admito que ainda guardo tanto medo dentro de mim, mas será sempre algo que terei que lidar até aos poucos me largar dessas mesmas Sombras, pois na realidade todos nós temos medos que nunca iremos perder, é inerente a todos nós sentirmos esse frio no estômago, todos queremos ser felizes mas quando chega a hora todos sentimos medo. Talvez não saibamos reconhecer o que está à nossa frente...

Talvez eu afinal sempre soube quem tu eras e tu sempre soubeste quem eu era, não? Talvez este vá ser mais um texto confuso e que ninguém, nem tu, irá ler. 

Sinto que o destino esperou... E finalmente decidiu o nosso destino nas estrelas, não sei o que irá acontecer, e acho que tu também não, apenas sei que o tempo parou debaixo do céu, o rio estagnou e nada mais existia à volta, só o vento.

Talvez eu afinal sempre soube quem tu eras e tu sempre soubeste quem eu era, não? E simplesmente o destino juntou, afastou e... E agora somos nós que decidimos.

Passo a passo... Certamente é o mais correcto. Mas como fazer passo a passo se a vontade é recuperar o tempo perdido? Se a vontade é sentir de novo tudo na totalidade? Dizem que o que é verdadeiro volta... Será verdade? Se assim for, espero que uma amizade consiga vencer as voltas do destino e o seu aguçado sentido de humor.

Talvez eu afinal sempre soube quem tu eras e tu sempre soubeste quem eu era, não? E simplesmente o destino juntou, afastou e...

Sem comentários:

Enviar um comentário