domingo, 12 de julho de 2015

Não Sabemos

Bem... Hoje escrevo para ti, para esse alguém que existe ou talvez não. Hoje decidi finalmente escrever as palavras que vagueiam pela minha mente, que me tiram o sono e o despertar do dia a dia.

Tu não sabes quem eu sou, e talvez eu também não saiba quem tu és, ou quem sabe o destino já se encarregou de nos juntar e separar, não?

Enfim, quero que saibas que estou um caco, porém, outras vezes estou um autêntico circo de aberrações. Nunca procurei por ti e penso que nem tu por mim, pois quanto mais se tenta enganar o destino mais rasteiras ele nos faz.

Pareço um mero idiota a escrever estas palavras, um mero idiota porque sei que ninguém irá ler ou entender isto. Talvez nem eu perceba bem o que estou a fazer, mas simplesmente estou a deitar para o mundo as palavras que me consomem o interior, o resto que sobra da minha alma, do meu ser, e quem sabe, talvez de amor.

Tu não sabes quem eu sou, e talvez eu também não saiba quem tu és... Só quero que saibas que tal como todas as pessoas tenho um passado, passado esse negro e manchado de sangue, mas tenho orgulho e fazia tudo de novo ou pior. Quero que saibas que já fui aquele rapaz que todos ligavam na hora de sair à noite, fui o rapaz que tinha sempre o copo cheio à noite, tentando agarrar-se à vida, porém ao nascer do Sol vinha a vergonha e a vontade de desaparecer por completo nas sombras.

Sabes o que é engraçado? É que depois descobri que sempre vivi nas sombras. Quero que saibas que fui e talvez ainda seja um Viajante ao Vento preso num mundo de Escuridão e Solidão.

Tu não sabes quem eu sou, e talvez eu também não saiba quem tu és... Só quero que saibas que estou destinado a afastar as pessoas à minha volta, mais cedo ou mais tarde eu magoo ou sou magoado pelas pessoas à minha volta. Quero que saibas que sou um pessimista de natureza, que já fui ao inferno e voltei. Já fiz das minhas lágrimas sangue, das minha veias correntes e do meu coração vazio.

Talvez os nossos caminhos não se cruzem, ou se voltem a cruzar, não ando à tua procura, porém, se algum dia o destino achar que é o mais certo o nosso encontro... Só quero que saibas que não acredito no "Para sempre", pois na realidade o "Final Feliz" de cada pessoa não é obrigatoriamente ao lado de alguém. Nada dura para sempre, ninguém é insubstituível, mais cedo ou mais tarde alguém parte para nunca mais voltar.

No fim, não entendo na totalidade o que escrevi e porque o escrevi... Todavia, era o certo, tirar este peso da minha mente, do meu respirar. Tu podes não saber quem eu sou, e talvez nem eu saber quem tu és, e quem sabe nunca ninguém vir a ler isto, mas só quero que saibas que tenho mais escuridão na minha vida do que luz. Se isso te assusta não venhas, recua e segue a tua vida e eu a minha, pois a pior coisa que se pode dar ao ser humano é esperança e amor, pois quando essas terminam a dor é incontrolável e tão dolorosa que só queremos ser enterrados numa terra de esquecimento.

Tu não sabes quem eu sou, e talvez eu também não saiba quem tu és, ou quem sabe o destino já se encarregou de nos juntar e separar, não?

Sem comentários:

Enviar um comentário