sábado, 25 de maio de 2013

Caixa

Sinto... Sinto a falta de algo mais que os sorrisos que me rodeiam. Sinto a falta de algo mais que o Sol a nascer a cada manha.

Hoje escrevo mais um mero desabafo desta vida, simples palavras que, talvez, o vento não as consiga levar.

Ao longo destes dias tenho percebido que sinto-me novamente vazio, o futuro parece que não existe mais a cada segundo, o respirar torna-se pesado e o sentir cada vez menos verdadeiro. Porém, percebi, percebi que sinto a falta... Sabem do que? De me sentir amado, de me sentir o chamado "príncipe" de alguém, sinto a falta de ouvir "AMO-TE!".

Nunca pensei sentir tal coisa, tal vazio porque simplesmente não tenho aquela pessoa... É claro que pode parecer carência, mas não, simplesmente é um sentimento que me ocupa a mente e me vai destruindo o resto que sobra do meu simples coração humano.

Sou Viajante ao Vento, e como tal sempre pensei que nunca iria precisar do "amor" por assim dizer, mas falhei redondamente neste formula onde não são os números que imperam, mas sim o inexplicável.

Penso e repenso... Escrevo e rasgo... E é tudo. É tudo o que tenho.

Sou amado pelos meus amigos, mas não me chega, todavia sei que o que sinto é nada mais, nada menos que a minha dita "recompensa" por tudo o que fiz. Usei e abusei das pessoas, destruí sonhos para conseguir alcançar os meus, pisei sentimentos por simples momentos no escuro. Crie uma personagem que agora não sei como desmontar, pois na realidade, quase que posso dizer que embora possa existir uma esperança, ela não me preenche.

Repenso e escrevo... Penso e rasgo... E percebo que é tudo, tudo!

Guardei todas os meus receios, sentimentos numa pequena caixa que hoje está apenas coberta pela poeira do tempo, assopro e por momentos deixo de ver o que me rodeio e sinto... Sinto cada osso do meu corpo a tremer, cada músculo a contrair. A caixa quebrou-se, o cadeado partido está e a caixa vazia vejo.

E percebo que é tudo, é tudo... Tudo porque simplesmente sinto a falta de um sentimento que em tempos moveu mundos e vergou reis e imperadores.