sábado, 3 de julho de 2010

Acordei


Hoje acordei, senti o vento, olhei de frente para o Sol! Tudo isto porque me livrei do passado, de uma história que a cada dia me consumia…

Consumia mais do meu ser, mais do meu eu! Talvez seja tarde, talvez seja cedo, talvez sejam nada… nadas comparados com o que me tornei, um viajante sempre em busca do olhar da liberdade, do conforto em si, sempre comandado pelo silêncio e a escuridão. Hoje olhei ao espelho e a pergunta q fiz foi “Estás á espera do quê?”. Chega! Chega de desistir, chega de procurar lágrimas quando os sorrisos estão mesmo á minha frente, chega de respirar um ar que não me pertence, pois o que me pertence são os 18anos, são as vitórias e derrotas que me pertencem!

Se amei? Claro q sim! Mas também perdi e não deixo de andar de cabeça erguida… pois eu sou eu, o Sérgio que muitas batalhas travou e vai travar, que muitos bocados levaram e eu deixei… que fraquejou quando viu o chão a sair da sua plataforma, mas que nunca caiu!

Exacto nunca cai! Pois embora as batalhas sejam muitas, a grande guerra é hoje… pois sai do mundo das sombras, da solidão, hoje deixo de comandar as tropas da dor e passo a ser talvez e apenas frio, de coração fechado e alma livre.

Pois hoje acordei e senti o vento, olhei o Sol e sorri.